Relevo Brasileiro Resumo


O relevo apresenta diversas formações que são originadas através das ações de agentes endógenos (energia do interior do planeta, se manifesta através da dinâmica das placas) e agentes exógenos (todos agentes externos e relativos ao clima, como geleiras,ventos,chuvas, que dão forma ao relevo através de processos erosivos).

relevo

Dependendo da localização geográfica de cada país, o respectivo relevo sofre uma determinada conseqüência perante as características de ação dos agentes endógenos e exógenos no local. A formação do relevo Brasileiro resulta, essencialmente, de diferentes ciclos climáticos e da ação das forças internas do planeta Terra, como a alteração das placas tectônicas, o vulcanismo e as falhas.

A classificação mais atual do relevo Brasileiro é do ano de 1995, de autoria do pesquisador e geógrafo Jurandyr Ross, do Departamento de Geografia da USP (Universidade de SãoPaulo). Sua classificação fundamenta-se no projeto Radambrasil, uma pesquisa feita entre os anos de 1970 e 1985. Esse projeto teve como objetivo tirar diversas fotos da superfície do nosso território, através de um moderno radar acoplado a um avião.

O Brasil é constituído predominantemente por planícies, depressões e planaltos, embora outras formações, como chapadas, tabuleiros, serras e patamares também possam ser observados. Entre os principais tipos de Planaltos Brasileiros estão o Planalto Central, planalto meridional,planalto das guianas e planalto atlântico.

O Planalto Brasileiro trata-se de uma extensa região que cobre a maioria das porções sul, central e leste do Brasil, totalizando praticamente metade da área do país, ou seja, 4,5 milhões de kilômetros quadrados (km²). É importante observar que a grande maioria da população brasileira vive perto das montanhas ou na pequena região costeira adjacente ao planalto, como São Paulo e Rio de Janeiro.

O planalto é um tipo de terreno relativamente plano e situado em áreas de altitude mais elevada, como o Planalto centro-sul mineiro, planalto central Brasileiro e os planaltos da região amazônica e da bacia sedimentar do Paraná. Todos são limitados, pelo menos por um lado, por superfícies um pouco mais baixas.

O Planalto Brasileiro destaca-se devido à grande variedade encontrada lá, há várias condições climáticas, tipos de solo, biomas e milhares de espécies de vegetais e animais diferentes. Os planaltos são divididos por escarpas (aclives ou rampas que se originam nas bordas de serras e planaltos), onde o processo de degradação ou desgaste supera o processo de deposição de determinados sedimentos. Podem apresentar vários conjuntos de morros, colinas, serras e chapadas.

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Já as Planícies são áreas suavemente onduladas ou até mesmo planas, formadas pela deposição de determinados sedimentos transportados através da água ou do vento, ou qualquer agente exógeno. Na maioria, encontra-se em região de pouca altitude. Por serem oriundas da deposição de alguns sedimentos latentes, vindos de outros locais, é uma espécie de relevo mais recente se comparado aos outros. Entre todas as planícies do nosso país, destacam-se a Planície do pantanal Mato-grossense, do rio Amazonas e seus afluentes, além das planícies encontradas ao longo do litoral Brasileiro.

As planícies abrangem mais de 3.000.000 de kilômetros quadrados (km²). Dividem-se em três áreas citadas anteriormente: A planície Litorânea, planície amazônica e planície do Pantanal Mato-grossense. A planície Amazônica caracteriza-se por ocupar as margens do rio Amazonas e seus respectivos afluentes. Ao redor dessa formação de relevo aparecem diversas extensões de baixos planaltos sedimentares. Observando com cuidado a disposição das planícies no sentido norte-sul, pode-se identificar três diferentes níveis altimétricos sobre o relevo. Um deles é a Várzea, junto à margem dos rios, terrenos de formação recente, que geralmente sofrem inundações, das quais sempre renovam uma parte do solo.

Os terraços fluviais, cuja altitude não ultrapassa os trinta metros são periodicamente inundados. Já os baixos planaltos são conhecidos como terra firme, salvo inundações inesperadas, formadas pelos terrenos do terciário. A mais típica planície brasileira é a planície do Pantanal, situada na pequena extensão do sudoeste do Mato grosso e na porção oeste do mato grosso do sul, entre os planaltos Meridional e Centro. As planícies litorâneas possuem terras baixas, formando uma longa e estreita faixa litorânea, conhecido como “litoral”. Em determinados pontos, aparecem as falésias, que são barreiras na beira do mar, resultantes da erosão causada pela água salgada. As planícies costeiras originam, basicamente, as praias, mas geram também restingas,dunas, manguezais e outras formações.

Outro tipo de relevo Brasileiro são as depressões. Elas formam um conjunto de relevos ondulados ou planos que ficam respectivamente abaixo do nível de altitude (altimétrico) das regiões próximas. Alguns exemplos de depressões no Brasil podem ser encontradas na Região do Amapá, Acre e região amazônica. Encontram-se ainda na parte sudeste do país, onde as localidades urbanas souberam aproveitar as boas características do relevo para a construção de metrópoles, como Belo Horizonte e São Paulo.

É importante observarmos a classificação de dois tipos distintos de depressão: Absoluta e relativa. Respectivamente, a depressão absoluta caracteriza-se por situar-se numa altitude abaixo do nível do mar. Já a depressão relativa tem como característica principal ser mais baixa apenas do que as áreas ao redor, não necessariamente mais baixa do que o nível do mar. É normal a formação de lagos em determinadas depressões, visto o seu formato e a grande incidência de chuva, na maioria das vezes.

Outro tipo característico de relevo brasileiro são as Serras. Elas constituem relevos acidentados, geralmente com topos aguçados e forma de cristas (partes altas, seguidas por falhas no terreno) ou em bordas mais elevadas de um determinado planalto. A serra da Mantiqueira e a serra do mar são ótimos exemplos. Os tabuleiros e as chapadas são relevos de topo plano, oriundos de rochas sedimentares e normalmente limitados por delimitações com inclinações variadas.

Os tabuleiros podem ser encontrados em altitudes relativamente baixas, podendo aparecer nas faixas litorâneas e do interior. No litoral do Brasil, os tabuleiros predominam na região do nordeste, e no interior, na região amazônica. Já as chapadas ocorrem em altitudes medianas ou elevadas. São exemplos clássicos desse tipo de relevo a chapada dos Guimarães, chapada Diamantina e chapada dos Parecis.

Por conclusão, os patamares, outra formação de relevo característica do Brasil, são formas onduladas ou planas que formam uma espécie de “degrau” entre as regiões mais elevadas e mais baixas de um terreno. São encontrados na região nortes entre as depressões da serra da Borborema e depressões sertanejas, podem ser encontradas também na bacia sedimentar do Paraná, formando degraus entre níveis diferentes de determinados planaltos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*