Pré História Brasileira Resumo


Conhecer o nosso passado é importante para sabermos como chegamos à situação atual do país. O período conhecido como pré-história também é de grande valor para o conhecimento. Por conta disso, preparamos um resumo da pré-história brasileira, pelo qual você terá condições de entender melhor o período entre o povoamento inicial do nosso território e o descobrimento do Brasil, em 1500.

Os primeiros registros da história do país estão associados à chegada de Pedro Álvares Cabral. Entretanto, o local já era habitado por povos indígenas há milhares de anos. Acredita-se que os primeiros humanos que vieram ao nosso território se originaram da Ásia. Tais povos vieram ao continente americano após a passagem pelo Estreito de Bering. Com o tempo, essas pessoas se espalharam pela localidade, dando origem aos povos indígenas que vivem no país até a atualidade, apesar da considerável redução na quantidade de indígenas ao longo dos anos.

Vestígios da pré-história brasileira

O povoamento inicial do Brasil, que só teve essa denominação depois do descobrimento, gerou vestígios da pré-história brasileira. Esses vestígios são encontrados em sítios arqueológicos do país, principalmente na região de São Raimundo Nonato, no Piauí. O sítio arqueológico da Caverna da Pedra Pintada, localizado em Monte Alegre, que fica na margem do rio Amazonas, também possui fragmentos de fogueiras, machados de pedra, pinturas rupestres, ossos de animais e artefatos de cerâmica, que são os principais itens do nosso passado pré-descobrimento.

Muitos objetos do período anterior à chegada dos portugueses podem ser observados nos sambaquis ou concheiros, que se formaram no nosso litoral a partir do acúmulo de conchas e resíduos de coisas descartadas pelos habitantes dessa região.

As descobertas pré-históricas revelam que a maior concentração de moradores do Brasil estava em grupos espalhados pela Amazônia, o Piauí e o litoral de São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Além disso, havia um grupo de indígenas na região de Lagoa Santa, no interior de Minas Gerais.

Características dos povos da pré-história brasileira

Por meio dos estudos de arqueólogos, foi possível identificar algumas características dos povos da nossa pré-história. A forma como as pessoas viviam no país foi percebida a partir de pesquisas que encontraram os resultados abaixo:

  1. O fogo era utilizado para a proteção contra animais perigosos, bem como para que alimentos fossem cozidos, como carne de animais. A alimentação de quem vivia perto do mar consistia em frutos do mar. No geral, a população comia grãos e frutas, que costumavam ser armazenados em recipientes de cerâmica, onde também colocavam água;
  2. A caça, a pesca e a coleta de frutos eram as principais atividades dos indígenas pré-históricos. Em geral, eram usados machados e lanças de madeira com pontas afiadas para a captura de animais e outros itens para consumo;
  3. Boa parte dos homens dessa época moravam em cavernas, especialmente quem vivia no interior do território. Já as pessoas que estavam no nosso litoral faziam cabanas de madeira e palha;
  4. As pinturas em desenhos de cavernas representavam cenas de parto, caça de animais, contagem de objetos, danças, relações sexuais e outras ações presentes na rotina dos povos. As pinturas rupestres eram feitas com sangue de animais, minerais misturados com água e carvão;
  5. Os grupos de habitantes contemplavam grandes famílias, que dividiam as tarefas diárias entre os homens e as mulheres. Enquanto o sexo masculino caçava, pescava e protegia o grupo, as mulheres ficavam encarregadas de cuidados ligados às crianças e ao preparo dos alimentos;
  6. A expectativa de vida era muito baixa, pois havia uma série de dificuldades enfrentadas pelas pessoas, que não tinham os mesmos recursos que nós temos para evitar a morte diante de doenças e ataques de animais. Além disso, os grupos viviam entre 25 e 30 anos porque as condições de higiene eram precárias;
  7. Alguns grupos tinham o hábito de enterrar os mortos perto de onde eles viviam. Diante da morte, era comum a prática de rituais funerários, os quais eram representados nas pinturas rupestres;
  8. A proximidade de rios e lagos faziam muitas comunidades optarem pela moradia nessas regiões, graças à facilidade para a obtenção de água, tanto para a ingestão como para a pesca e para banhos.

Comments are closed.